Ícone do site Notícia Preta

Fluminense será denunciado por caso de racismo contra Gabigol 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Procuradoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJD-RJ) decidiu denunciar o Fluminense pelo caso de racismo contra o atacante Gabigol, do Flamengo, no jogo realizado no Estádio Nilton Santos, no último dia 6 de fevereiro. O time tricolor foi enquadrado pelo procurador André Valentim no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”, O documento deve ser homologada nesta sexta-feira, 4, e o julgamento ainda será marcado. As informações são do jornalista Sérgio Guimarães, da “Rádio Tupi”, e confirmada pelo Globo Esporte. 

O atacante Gabigol. Foto: Reprodução Redes Sociais

O artigo 243-G prevê como pena multa de R$ 100 a R$ 1 mil para o Fluminense, além da perda de três pontos “caso a infração seja praticada simultaneamente por considerável número de pessoas vinculadas a uma mesma entidade de prática desportiva”. O inquérito aberto pela presidente do TJD-RJ, Renata Mansur, para apurar o episódio ainda não foi encerrado, mas só a denúncia da Procuradoria já garante a realização do julgamento. 

Leia também: Gabigol é intimado a depor no TJD após ser vítima de racismo

O episódio de racismo foi denunciado a partir das imagens do Canal S1 Live, onde o atacante Gabigol aparece descendo as escadas saindo do campo, quando é hostilizado por torcedores do Fluminense. Antonio Tabet, ex-dirigente do Flamengo postou o vídeo no Twitter e escreveu: “É impressão minha ou chamaram o @gabigol de “Macaco”? Caso seja isso mesmo, haverá consequências maiores ou só passada de pano com notinha do Fluminense pedindo desculpas?”, escreveu. Na mesma noite, o atacante retuitou o post do ex-dirigente respondendo “Impressão?”

Na ocasião, o atacante do Flamengo desabafou nas redes sociais sobre o caso de racismo. “Até quando? Até quando isso vai acontecer sem punição? Jamais vou me calar, é inadmissível que passemos por isso!! Orgulho da minha raça, orgulho da minha cor!! #RacismoNão”, escreveu no Twitter. 

Sair da versão mobile