Espetáculo sobre babalorixá baiano Joãozinho da Gomeia fica até domingo na Baixada Fluminense, RJ

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Átila Bezerra é autor e diretor do espetáculo sobre Joãozinho da Gomeia Foto: Antônio Dourado

Enredo da Acadêmicos do Grande Rio para o carnaval carioca de 2020, o babalorixá baiano Joãozinho da Gomeia também está nos palcos. Em cartaz até domingo, dia 7, o espetáculo “Joãozinho da Gomeia, de filho do tempo a rei do candomblé” narra a trajetória do religioso que deixou a Bahia na década de 40 para abrir seu terreiro em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Figura polêmica, Joãozinho da Gomeia era negro, homossexual, artista e apaixonado pelo carnaval. Não tinha papas na língua nem medo de ser ousado e revolucionário dentro da religião. Era considerado um homem à frente de seu tempo, que não se envergonhava de ser homossexual na homofóbica Bahia do início do século XX, pai de santo que afrontava os princípios de que homens não podiam “receber” o Orixá em público, tornando-se famoso pela sua dança; vestia-se de mulher para brincar carnaval. Para o autor e diretor do espetáculo, Átila Bezerra, a montagem resgata uma história pouco conhecida, mas de extrema importância para a cultura afro-brasileira:

“Há 2 anos eu vinha fazendo a performance “Joãozinho”, de aproximadamente seis minutos de duração. O espetáculo começou a ser construído a partir deste trabalho e não poderia nascer em momento mais oportuno. João da Gomeia é uma personalidade que nos permite levar para a cena discussões urgentes acerca do racismo, da homofobia e da intolerância religiosa, num momento em que o país insiste em retroagir, principalmente no que diz respeito às questões de direitos humanos”.

Baiano de Inhambupe, no interior da Bahia, João viu sua vida se transformar quando, ainda criança, foi à cidade de Salvador em busca da cura para uma doença que o atormentava. Iniciou sua trajetória religiosa em 1931 e levou a dança dos orixás para os palcos de teatros de Salvador. Em 1946, mudou para o município de Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro, onde alcançou poder e fama e se tornou o mais importante babalorixá da história do candomblé no Brasil.

João foi responsável por enfeitar as festas no terreiro e também é dele a ideia de bolos decorados nas festas de santo. Popularizou a religião, atraindo importantes nomes da cultura, da política, de toda a alta sociedade brasileira, que saíam de suas zonas de conforto e viajavam até a Baixada Fluminense para consultas e orientações com o babalorixá. Joãozinho da Gomeia atraiu também a atenção da imprensa e se tornou responsável pelo crescimento do candomblé no país.

O espetáculo “Joãozinho da Gomeia, de filho do tempo a rei do candomblé” será apresentado dias 5, 6 e 7 de julho no no Gomeia Galpão Criativo, na Rua Dr. Lauro Neiva 32, no Jardim Vinte e Cinco de Agosto, Duque de Caxias, Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA: Texto e direção: Átila Bezerra Com Átila Bezerra Percussão e figurinos: Drika Rodrigues e Tauana Faria Iluminação e ambientação: Jon Thomaz Operador de luz – assistente: Bruno Rangel Fotografia: Antonio Dourado Arte: Lucas Bileski Assistente de produção: Flávia Eloah Barsan Sextas e sábados as 20h Domingos as 18h Duração: 50 min Ingressos: R$ 20,00 inteira R$ 10,00 meia Classificação indicativa: Livre

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.