Enfermeira é vítima de racismo no Hospital de Urgência de Teresina

APOIE O NOTÍCIA PRETA
A enfermeira trabalha há três anos no hospital e disse que a médica é reincidente nos casos de racismo – Foto: Reprodução Internet

A enfermeira Laiane Nunes trabalha há três anos no Hospital de Urgência de Teresina (PI) e acusou uma médica anestesista de ter praticado racismo contra ela no último domingo (2). Porém, o caso ganhou repercussão quando foi divulgado nas redes sociais. 

Segundo o boletim de ocorrência, a médica chamou a enfermeira de “escurinha”, depois de não ficar satisfeita com os equipamentos para uma cirurgia. “Uma colega viu ela me chamar assim quando saí da sala. Foi no momento de uma cirurgia que ela falou que faria sozinha. Então [a médica] disse à circulante que era pra chamar a enfermeira ‘escurinha’ e ela disse que me chamou assim porque não sabia meu nome”, afirma a vítima. 

Leia também: 57% das mortes maternas de 2020 foram de mulheres negras

Ainda de acordo com a enfermeira, outra colega já havia sido vítima de comentários preconceituosos por parte da mesma médica. “Eu quero que seja feita justiça. Fiz o boletim de ocorrência, mas isso é triste, humilhante, por que foi na frente de todo mundo, isso machuca”, lamenta. 

O Hospital

Em nota, o Hospital disse que a ouvidoria da instituição está apurando os fatos para a instauração de um possível processo administrativo disciplinar, caso seja necessário. Além disso, a nota diz também que o HUT “lamenta profundamente o ocorrido e defende uma sociedade plural e democrática, com a eliminiação de todas as formas de preconceito e discriminação”.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.