Empresa quer contratar cuidadoras de idosos que “não sejam negras e gordas”

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Elisangela Carlos Lopes, 41 anos, denunciou um caso de racismo explícito em uma oportunidade de emprego em Belo Horizonte (MG).

Print da conversa entre a psicóloga e a vítima de racismo – Foto: BHAZ

Segundo ela, a vaga de cuidadora de idosos exigia que as candidatas não fossem negras e gordas. O caso foi registrado na Polícia Civil, no início de novembro, e a vítima informou que precisava complementar a renda, por isso procurou a vaga. “Atualmente estou trabalhando, mas essas oportunidades são divulgadas e muita gente pega para fazer freela e aumentar a renda. Naquele momento, eu percebi que, caso eu tivesse desempregada, eu continuaria sem trabalho, só por conta da minha cor. A gente passa por muita coisa na vida, mas aquilo foi um absurdo”, desabafou.

Ainda de acordo com a vítima, entrou em contato com a psicóloga e reclamou da situação que havia passado. “Eu disse tudo que eu estava sentindo e mostrei como eu estava com meu coração dilacerado. Aquilo acabou comigo, fiquei desesperada, chorando, pois é muito doloroso passar por isso”, relatou.

A vaga foi divulgada pela psicóloga Fernanda Spadinger, que mantém uma lista de transmissão com dezenas de profissionais cuidadores de idosos. A oportunidade seria para trabalhar como folguista em uma das filiais da “Home Angels” em BH, empresa referência no setor. A empresa, por sua vez, nega que tenha divulgado a vaga com a descrição racista e alega que, na verdade, o texto teria sofrido alterações por parte da psicóloga que divulgou a oportunidade em uma lista de transmissão. A psicóloga alega que  que não fez qualquer alteração na mensagem e afirma que repassou a vaga “sem ler corretamente” e “sem o cuidado necessário”. 

Elisângela disse ainda que, na sequência, Fernanda teria se desculpado e oferecido um acompanhamento psicológico a ela. Contudo, a mulher negou o atendimento e garantiu que levará o caso à Justiça. “Como vou ter acompanhamento com uma pessoa que causou uma situação dessas? Não tem jeito”, afirmou.

Porém, na resposta da mensagem [imagem acima], a psicóloga responde “a exigência é deles e não minha! não posso fazer nada”, o que revela que ela leu a mensagem e sabia do seu teor.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor do Notícia Preta.

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.