Efeito combustíveis: inflação de 2022 pode ficar acima de 6%, afirma Banco Central

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Puxada pela alta no preço dos combustíveis, a inflação de 2022 pode chegar a 6,86%, de acordo com um boletim divulgado pelo Banco Central do Brasil (BC), nesta segunda-feira (28). A pesquisa foi realizada na última semana, com mais de 100 analistas financeiros, chegando à décima primeira alta consequentemente.

Especialistas projetam alta na inflação em 2022 – Foto: Pixabay

A meta da Inflação para este ano está fixada em 3,5%, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), no entanto, os analistas esperam uma reação inflacionária acima da meta. Na semana passada, o próprio BC afirmou que a probabilidade de estouro da meta (ficar acima do estipulado) é de 88% a 97%.

Leia também: 60% dos trabalhadores formais fazem “bico” para complementar renda, afirma pesquisa

As previsões de mais uma alta na inflação começaram após o anúncio do reajuste nos preços dos combustíveis, pela Petrobrás, no início de março. Em 2021, a inflação chegou à casa dos dois dígitos pela primeira vez, desde 2015, atingindo 10,06% em 12 meses.

Reflexos da alta

Um dos reflexos do aumento da Inflação em 2021 foi o reajuste no preço médio do café com leite e do pão na chapa no Rio de Janeiro, em razão do aumento do grão e do trigo. De acordo com levantamento da Proteste, associação de consumidores, o “queridinho” do carioca teve uma variação de 208%, comparado a 2020.

Ainda segundo o estudo, o preço mínimo encontrado foi de R$ 3,90, o máximo de R$ 12 e o médio de R$ 6,39.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.