Clipe sobre Carolina Maria de Jesus é finalista de festival audiovidual internacional 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O artista negro, cantor, compositor e multi-instrumentista Wanderson Lemos é é finalista na categoria clipes do Festival RENUAC (Chile) com seu trabalho musical sobre a escritora Carolina Maria de Jesus. O clipe conta com roteiro de Luiza Soares, direção de Rafael Ramos, imagens de Fred Lins, música de Wanderson Lemos e Marcelo Amaro. O audiovisual conta também com a participação especial do próprio artista e das atrizes Jaqueline Calazans e sua filha Betina Calazans. 

Moradora de uma favela em São Paulo e catadora de papel, escritora Carolina Maria de Jesus começou a ficar famosa em 1958.

O clipe tem roteiro original inspirado na vida de Carolina Maria de Jesus, com produção executiva de Aline Araújo, maquiagem de Nani Gama, produção musical de Thiago Campos e realização da 246 filmes e Crioula Fonográfica.

Leia também: Carolina Maria de Jesus ganha título de Doutora Honoris Causa da UFRJ

Vale lembrar que no ano passado Carolina Maria de Jesus, uma das escritoras mais lidas do Brasil, ganhou o título de doutor honoris causa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A escritora mineira, falecida em 1977 aos 62 anos, é autora de livros como Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, publicado em 1960, vendido mais de 3 milhões de livros em 40 países e traduzido para 16 idiomas. 

Carolina Maria de Jesus nasceu em Sacramento-MG, em 14 de março de 1914, filha de negros que migraram para a cidade no início das atividades pecuárias na região. Oriunda de família muito humilde, a autora estudou pouco. No início de 1923, foi matriculada no colégio Allan Kardec – primeira escola espírita do Brasil –, na qual crianças pobres eram mantidas por pessoas influentes da sociedade. Lá estudou por dois anos, sustentada pela Sra. Maria Leite Monteiro de Barros, para quem a mãe de Carolina trabalhava como lavadeira. Mudou-se para São Paulo em 1947, quando a cidade iniciava seu processo de modernização e assistia ao surgimento das primeiras favelas. Carolina e seus três filhos – João José de Jesus, José Carlos de Jesus e Vera Eunice de Jesus Lima – residiram por um bom tempo na favela do Canindé. 
 
Sozinha, vivia de catar papéis, ferros e outros materiais recicláveis nas ruas da cidade, vindo desse ofício a sua única fonte de renda. Leitora voraz de livros e de tudo o que lhe caía nas mãos, logo tomou o hábito de escrever. E assim iniciou sua trajetória de memorialista passando a registrar o cotidiano do “quarto de despejo” da capital nos cadernos que recolhia do lixo e que se transformariam mais tarde nos “diários de uma favelada”. A escritora publicou ainda mais três livros: Casa de Alvenaria (1961), Pedaços de Fome (1963), Provérbios (1963). 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.