Ícone do site Notícia Preta

Caso Miguel: Sari Corte Real e Sérgio Hacker têm os bens bloqueados pela justiça

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Sari Corte Real é indiciada por abandono de incapaz na morte do menino Miguel – Foto: TV Globo

Sara Corte Real e seu marido, Sérgio Hacker, prefeito de Tamandaré, sofreram mais uma derrota na justiça. Na última quinta-feira (1), o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-6) determinou o bloqueio dos bens do casal. De acordo com o documento, a decisão foi tomada a partir do pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT) para garantir indenização por dano moral relativo ao processo que julga vínculos empregatícios de Marta Maria Santana Alves e sua filha, Mirtes Santana, que trabalhavam como domésticas para o casal até junho deste ano. 

Em entrevista ao jornal Diário de Pernambuco, Mirtes Santana, mãe de Miguel, disse que a advogada tentou um acordo com o casal, mas não obtiveram sucesso. “Se não quiseram pagar por bem, que seja assim. Minha advogada tentou resolver por acordo, mas eles se negaram a pagar. Assim, ela precisou recorrer ao Ministério Público do Trabalho”, afirmou.

De acordo com a decisão do TRT-6, Sérgio Hacker e Sarí poderão pagar um valor de até R$ 2 milhões na ação coletiva por danos morais. 

Entenda o caso

Mirtes e Marta trabalhavam como domésticas nas residências da família, mas tinham vínculos formais com a Prefeitura de Tamandaré. Após a morte de Miguel, que caiu do nono andar do prédio em que os patrões moravam, no bairro de São José, área central do Recife, depois de ter sido deixado sozinho no elevador por Sari Corte Real, em junho deste ano, ambas encerraram os vínculos com o casal.

Sarí Corte Real foi indiciada por abandono de incapaz com resultado morte e aguarda julgamento.

Sair da versão mobile