Ícone do site Notícia Preta

Bolsonaro embarca hoje para a Rússia em clima de tensão internacional 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O presidente da República Jair Bolsonaro viaja para a Rússia nesta segunda-feira (14), com voo previsto para decolar nesta noite da Base Aérea de Brasília, com tempo de duração estimado em aproximadamente 20 horas. A viagem ocorre em meio ao clima de tensão internacional devido a possibilidade de conflito armado da Rússia com a Ucrânia. Bolsonaro fará uma visita ao Memorial do Soldado Desconhecido e se reunirá com o líder da Câmara Baixa do Parlamento russo, a Duma.

Foto: Reprodução Redes Sociais

Devem viajar com Bolsonaro os ministros das Relações Exteriores, Carlos França, do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, da Defesa, Walter Braga Netto e o da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres. Após os compromissos em território russo, o presidente estuda visitar a Hungria para encontrar o primeiro-ministro Viktor Orbán. Depois participará de um encontro de empresários dos dois países.  

Leia também: Em live, Bolsonaro informa dados incorretos sobre preços do gás de cozinha e da gasolina

Por causa da variante ômicron, a comitiva brasileira terá apenas um dia de agenda na Rússia, incluindo um almoço com o presidente do país, Vladimir Putin. Também está previsto um comunicado conjunto entre Brasil e Rússia, fruto do encontro entre Bolsonaro e Putin. Mesmo ciente dos riscos da viagem em razão dos conflitos, o chefe do Executivo decidiu manter a ida à Rússia para atender a um convite feito pelo presidente russo. 

 “Fui convidado pelo presidente Putin. O Brasil depende em grande parte de fertilizantes da Rússia, da Bielorrúsia. Levaremos um grupo de ministros também para tratarmos de outros assuntos que interessam aos nossos países, como energia, defesa e agricultura”, disse Bolsonaro, durante uma transmissão nas redes sociais no último sábado (12). 

Na sexta-feira (11), a tensão entre Rússia e Ucrânia atingiu níveis preocupantes, com países ocidentais orientando seus cidadãos a deixarem a região. Os Estados Unidos alertam que uma invasão russa pode acontecer a qualquer momento. 

Sair da versão mobile