Bahia elege pela primeira vez uma deputada negra

Pela primeira vez na história, uma deputada negra ocupará uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa da Bahia. O Estado, que tem 81,4% da população auto declarada descendente de africanos (60% pardos e 21,4% pretos), elegeu a professora Olívia Santana (PCdoB), com 57 mil votos.

Filha de empregada doméstica com um marceneiro, a Deputada, de 51 anos, tem uma longa carreira na vida pública. Olívia começou na política em 1988 e, desde então, já ocupou os cargos de secretária de Educação e Cultura de Salvador e secretária do Trabalho no governo do estado. Foi também vereadora em Salvador por 10 anos.

Quando questionada sobre a importância de sua eleição, Olívia ressalta a necessidade de termos mais negros e negras ocupando os espaços políticos:  “Queremos ser o comum, não o inusitado. Espero que essa polêmica toda sacuda a sociedade baiana. O racismo está no Brasil todo, mas na Bahia deveria ser comum que mulheres negras ocupem espaços de poder na política. Mas o que vemos é que isso é incomum”.

Olívia Santana integrou o movimento estudantil, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde cursou pedagogia e fundou a União de Negros pela Igualdade (Unegro) – entidade que tomou corpo e virou braço antirracista do PCdoB, único partido no qual deputada eleita militou.

“A educação para mim é a porta. Todo negro e toda negra precisa ter oportunidades educacionais”, diz a Deputada eleita. Nascida em uma família pobre que morava em favela de palafitas em Ondina, Olívia começou a trabalhar aos 14 anos. Sua mãe nunca foi à escola. Ela, porém, queria outro rumo. “Decidi que não ia repetir a história.”

Enquanto secretária de Educação e Cultura de Salvador em 2005, implantou o estudo da cultura afro-brasileira nas escolas e chegou a ser cotada para concorrer à prefeitura de Salvador em 2016.

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: