Produtora de moda sofre racismo em loja de São Paulo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na última quinta-feira (21), Naiara Albuquerque, produtora de moda, foi impedida de entra em na loja Lool, no shopping Iguatemi, em São Paulo. A produtora foi ao local retirar peças de acessórios de luxo para compor o figurino da atriz Tais Araújo, par a série Aruandas, e tudo estava combinado com o marketing da loja.  

Naiara alega que foi proibida de entrar na loja por uma vendedora, porém a princípio achou normal por imaginar ser algum protocolo, por conta da pandemia do coronavírus. A produtora então, foi dar um passeio pelo shopping e viu quando quatro pessoas não negras entraram na loja.  

Em sua rede social a loja Lool, publicou uma nota dizendo que nunca compactuou com qualquer ação discriminatória, seja ela racial, de gênero, sexualidade ou classe. 

A fundadora da loja entrou em contato com Naiara Albuquerque para se desculpar pelo ocorrido.    

A advogada da produtora, Juliana Souza, disse em entrevista à Folha de S. Paulo que tomará medidas legais a respeito do caso e que a defesa de Naiara está à disposição para construir uma proposta de reparação não apenas individual, mas que também sirva à comunidade negra. “Como a gente está tratando de racismo institucional, a marca precisa construir, de fato, uma série de medidas para a revisão dessas práticas racistas”, comenta.  

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.