Ícone do site Notícia Preta

Homem acusado de triplo assassinato é inocentado após ficar 40 anos preso

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Kevin Strickland foi libertado nesta terça-feira (23), após cumprir 40 anos de prisão, por um crime que não cometeu. Ele foi acusado de triplo assassinato, na cidade do Kansas em 1978. O júri, totalmente branco, o condenou à prisão perpétua, mesmo após Kevin afirmar estar assistindo TV no momento do crime. 

40 anos depois de ser preso, Kevin foi inocentado – Foto: Rich Sugg/The Kansas City Star via AP

O homem inocentado foi condenado pelas mortes de John Walker (20), Larry (21) e Sherrie Black (22) em uma residência na cidade de Kansas, nos Estados Unidos. O crime foi durante um tiroteio e a única testemunha, Cynthia Douglas, do ocorrido depôs afirmando que Kevin era um dos quatros homens envolvidos no tiroteio.  A soltura aconteceu porque não houve provas e a única testemunha admitiu ter reconhecido o homem errado. 

Quando questionado sobre seus sentimentos, Kevin declarou ter emoções desconhecidas por todos. “Não estou necessariamente com raiva. Isso é muito. Acho que criei emoções que todos vocês ainda não conhecem”, disse ele aos repórteres, ao deixar o Centro Correcional Western Missouri, em Cameron. “Alegria, tristeza, medo. Estou tentando descobrir como colocá-los juntos”

Kevin relatou interesse em buscar formas de controlar essa prática com outras pessoas e que o sistema judicial precisa ser reorganizado. “Quero evitar que isso aconteça com outra pessoa, para isso, o sistema de justiça criminal precisa ser demolido e refeito”, diz. 

Brasil 

Vale destacar que 83% dos condenados injustamente no Brasil são homens negros, rotulados por um estereótipo: homens, negros e pobres. O levantamento inédito foi realizado pelo Condege, órgão que reúne defensores públicos de todo país e a Defensoria Pública do Rio de Janeiro. 

O método desenvolvido para identificar os “suspeitos” no Brasil é a fotografia, contudo, para especialistas, esse método está sujeito a equívocos falha e em muitos casos levando inocentes à cadeia. 

Leia também: Grande Rio teve 59 chacinas, com 245 mortos só em 2021, aponta plataforma

Quando não são presos injustamente, jovens negros são violentados e mortos, a cada 23 minutos morre um jovem negro no brasil é o que afirma o Atlas da Violência 2020. Foram 23.100 jovens negros mortos, com idade entre 15 a 29 anos, totalizando 63 vítimas por dia. 

Sair da versão mobile