Ícone do site Notícia Preta

Atrizes denunciam racismo e diretor da TV Globo é afastado

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Após reclamações das atrizes Cinnara Leal, Dani Ornellas e Roberta Rodrigues, a TV Globo decidiu afastar temporariamente o diretor artístico Vinícius Coimbra por denúncias de racismo. A decisão da emissora foi oficializada na tarde de terça-feira, 15, em resposta à denúncia de discriminação racial que Vinícius e equipe praticavam nos bastidores da novela “Nos Tempos do Imperador”, escrita pelos autores Alessandro Marson e Thereza Falcão. As informações são do “Notícias da TV”. 

Foto: Reprodução Redes Sociais

Tanto Ricardo Waddington quanto José Luiz Villamarim foram avisados sobre as queixas das três atrizes e disseram a elas e seus representantes que tomariam providências. Com o passar dos meses e sem nenhuma mudança de comportamento da direção e da produção da novela, Cinnara, Dani e Roberta fizeram uma queixa formal ao setor de compliance da Globo. 

Leia também: Escritora Cristiane Sobral é alvo de racismo e ameaças  

Na queixa, as atrizes falaram sobre o episódio em que a trama vacilou ao retratar o “racismo reverso” envolvendo Samuel (Michel Gomes) e Pilar (Gabriela Medvedovski). A cena causou um pedido de desculpas da autora Thereza Falcão, e Vinícius insistia para que elas e outros atores negros defendessem a novela em entrevista e em redes sociais. As atrizes alegaram também que o diretor e a equipe separavam as pessoas entre elenco branco e elenco negro, além de haver segregação nos camarins destinado aos atores.  

Orientadas por um corpo jurídico, as três atrizes de Nos Tempos do Imperador esperam o fim da investigação interna para decidirem se vão processar a emissora e Vinícius na Justiça comum. Por causa do ocorrido, Cinnara, Dani e Roberta estão fazendo tratamento psicológico. O diretor Vinicius Coimbra, que estava à frente da próxima novela das seis, Mar do Sertão, foi substituído por Allan Fiterman, que dirigiu Quanto Mais Vida, Melhor!. Já a TV Globo disse em comunicado que não comenta questões relacionadas a compliance em razão do “compromisso de sigilo previsto no Código de Ética”.

Sair da versão mobile