Ícone do site Notícia Preta

“Atravessaria a rua se visse um homem negro vindo”: Polícia investiga fala racista em escola de BH

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga fala racista de uma professora da Escola Estadual Djanira Rodrigues de Oliveira, localizada na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Segundo os alunos da instituição, durante uma aula que pautava temas como machismo e feminismo, a docente disse que “atravessaria a rua se visse um homem negro vindo na direção dela à noite”. 

Alunos se reuniram no pátio contra fala racista de professora em escola de BH. Foto: Reprodução Redes Sociais

Segundo a polícia, o caso ocorreu na terça-feira (19). Em entrevista ao G1, um aluno que prefere não ser identificado comentou que além da fala preconceituosa, a professora perguntou à sala quem faria o mesmo. “Fiquei muito nervoso. Sou negro e percebi que ela foi extremamente racista.”, relatou. 

Leia também: “Saudade de quando preto era escravo”: garoto é vítima de racismo por colegas de escola em BH

De acordo com informações da Rádio Itatiaia, por conta da comoção em sala sobre o tema, a professora de matemática do 1° ano do Ensino Médio encerrou a aula afirmando que entraria em contato com profissionais das áreas de Sociologia e História para mais aprofundamento. Já a Secretaria do Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informou em nota que está acompanhando o caso e que a direção da Escola Estadual Djanira Rodrigues de Oliveira ressaltou que “a unidade sempre desenvolveu atividades pedagógicas sobre o combate ao racismo”, reiterando, ainda que “repudia quaisquer atitudes e manifestações de discriminação, preconceito e racismo”. Confira na íntegra o comunicado da instituição: 

“A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informa que a Superintendência Regional de Ensino (SRE) Metropolitana C, cuja a Escola Estadual Djanira Rodrigues de Oliveira, em Belo Horizonte, é circunscrita, está acompanhando o caso envolvendo uma professora da unidade. A equipe de inspeção escolar irá apurar a situação, ocorrida na manhã desta terça-feira (19/4), e um relatório será elaborado para avaliar quais medidas poderão ser tomadas.” 

Sair da versão mobile