Ícone do site Notícia Preta

Assessor político é agredido e acusado de ser “racista reverso”

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Militante da Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen) e assessor do deputado estadual Jacó (PT), Roque Peixoto denunciou, através de publicação no Facebook, que foi vítima de racismo e agredido por pessoas no bar Cabral 500, localizado no boêmio bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Roque, que também é músico, publicou fotos onde mostra as marcas físicas das agressões.

Músico e assessor político foi atacado em um bar, em Salvador – Foto: Redes Sociais

Ele afirma ainda que teve seu acesso negado ao banheiro do bar com a esposa, mas percebeu que algumas pessoas brancas estavam usando o espaço. Ao voltar e questionar, foi acusado de ser racista com as garçonetes e em pouco tempo as agressões começaram.

“Ontem a noite, por volta das 23 horas, saí do Boteco do França e fui com Isabelle Lamenha (sua companheira) rumo ao ponto de ônibus no Largo da Mariquita. Ao chegar no largo, Belle pediu para usar o banheiro do bar (no bar Cabral 500 foi negado o acesso e foram no bar ao lado) e eu fiquei esperando. Ao ouvir piadas das mais escrotas e olhares daqueles que qualquer preta ou preto sabe do que se trata, questionei. Resultado: fui agredido pelas costas de forma covarde. Boca quebrada em três lugares, mão esquerda com escoriações, mão direita com dores, joelho deslocado e muita violência, ao ponto de quando Belle saiu do banheiro, os garçons a agarraram para que ela não pudesse separar tamanha violência que sofri”, escreveu Roque.

Roque Peixoto registrou o boletim de ocorrência na 7ª Delegacia, fez o exame de corpo de delito e já registrou o caso no Ministério Público da Bahia (MP-BA). O assessor, que nunca tinha sofrido violência direta, se diz impotente. “Eu já fui parado, já fui abordado, mas violência assim por questionar o atendimento diferenciado nunca tive. Do ponto de vista emocional, estou muito abalado, eu estou muito machucado fisicamente. E aquela sensação que mesmo sendo militante, esclarecido, de estar o tempo todo lutando pela vida dos próximos, quando acontece com a gente pensamos o quanto impotente somos. A gente vai correr atrás”, completou o assessor.

Clientes reclamam do atendimento e de agressões de funcionários do Bar – Foto: Redes Sociais

Procurado pela equipe no Notícia Preta, o bar Cabral 500 ainda não se manifestou ou atende as ligações. No entanto, na página do Facebook do bar é possível encontrar vários relatos de atendimento ruim e até agressões físicas de funcionárias com outra cliente. Hoje (14), às 18h, haverá uma manifestação contra o racismo e em apoio a Roque Peixoto no Largo da Mariquita, Rio Vermelho, em Salvador.

Sair da versão mobile