Ícone do site Notícia Preta

33 servidores do Inep pediram demissão a 13 dias do Enem 2021

Aplicativo de Celular ENEM 2019

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nesta segunda-feira (8), trinta e três servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) pediram exoneração dos cargos. O órgão é responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2021) e as provas estão agendadas para os próximos dias 21 e 28 de novembro em todo país. 

Candidatos concentrados fazendo a prova – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

No pedido de exoneração, os servidores alegam “fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima”, além de casos de assédio moral por parte do presidente do Inep, Danilo Dupas. 

Leia também: “Universidade para poucos”: Enem 2021 é o que tem mais brancos e menos pobres inscritos

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) informou que o cronograma de execução do Enem 2021 está mantido e não será afetado pelos pedidos de exoneração de servidores do Inep. Segundo o órgão, as provas do exame já se encontram com a empresa aplicadora e o instituto “está monitorando a situação para garantir a normalidade de sua execução”.

Reações

Líderes estudantis se manifestaram nas redes sociais pelo que eles chamaram de “descaso do governo com a educação”. Rozana Barroso, presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), disse que o estudante precisa lutar para conseguir fazer a prova e que o Enem é a única chance de entrada na Universidade para muitos estudantes. “O ENEM é nossa única porta de entrada para universidade. São horas e horas de jornada dupla e, para quem é mãe, não é fácil. Queremos audiência pública já. Que os culpados sejam responsabilizados por brincar com o nosso futuro”, escreveu. 

Rozana Barroso é presidente da UBES – Foto: Reprodução/Twitter

Esta audiência pública foi solicitada pela Ubes à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e, segundo Barroso, deve ser aprovada para a próxima quarta-feira (10) para que o presidente do Inep, Danilo Dupas e o Ministro da Educação, Milton Ribeiro expliquem a situação. “A Ubes pediu e recebeu a garantia dos integrantes da Comissão de que essa audiência pública será aprovada”, disse a presidente da entidade. “Os sonhos da juventude brasileira estão em jogo nesse momento”, disse Barroso ao UOL. 

Sair da versão mobile