Ícone do site Notícia Preta

“Poucas vezes na nossa história fomos tão hostilizados e depreciados como agora.”, afirma Gilberto Gil, sobre situação do Brasil

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O cantor, compositor e ex-Ministro da Cultura, Gilberto Gil, assumiu a cadeira de número 20 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Centro do Rio de Janeiro, em cerimônia realizada na última sexta-feira (8). A votação que definiu a vaga do cantor ocorreu em novembro do ano passado, sendo eleito com 21 votos. Durante o discurso, o artista de 79 anos criticou a atual situação política do país. “Poucas vezes na nossa história republicana o escritor, o artista, o produtor de cultura, foram tão hostilizados e depreciados como agora. Há uma guerra em prol da desrazão e do conflito ideológico nas redes sociais da Internet, e a questão merece a atenção dos nossos educadores e homens públicos.”, disse. 

O imortal da ABL Gilberto Gil. Foto: Reprodução Redes Sociais

Gil é o terceiro negro a ocupar uma cadeira na casa de Machado de Assis. O artista também ressaltou a importância da entrada de negros na ABL. “Você tem uma grande contribuição da vertente negra para a vida brasileira. Uma casa como a Academia Brasileira de Letras foi fundada por um afrodescendente, Machado de Assis. É importantíssimo que a casa acolha com essa compreensão do negro na vida brasileira, vá acolhendo todos aqueles que pleiteiam vir pra cá, que trazem suas qualificações para vir pra cá”, disse o artista em entrevista à CNN. 

Leia também: Gilberto Gil é eleito para Academia Brasileira de Letras

Gilberto Gil também comentou o fato de ser o primeiro representante da música popular brasileira a tomar posse na ABL. “Entre tantas honrarias que a vida generosamente me proporcionou essa tem para mim uma dimensão especial, não só porque aqui é a casa de Machado de Assis, um escritor universal, afrodescendente como eu.” 

Ministro da Cultura entre 2003 a 2008, Gilberto Gil é um dos principais expoentes da Tropicália e sua carreira se confunde com a música brasileira desde os anos 1960. Cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor musical, o artista tem dois prêmios Grammy Awards, nos anos de 1998 e 2005, além de já ter conquistado duas vezes o Grammy Latino, em 2001 e em 2002. Em 1999, foi nomeado “Artista pela Paz”, pela Unesco. O novo imortal tem uma extensa discografia com mais de 50 álbuns. 

Sair da versão mobile