Ícone do site Notícia Preta

Goleiro de clube baiano relata “descaso” ao denunciar ato racista em delegacia após jogo da Série D nacional

Deijair relata xingamentos racistas durante jogo contra Aparecidense Foto: Juazeirense

APOIE O NOTÍCIA PRETA

No último sábado (18), a Série D registrou mais um caso lamentável de racismo. Desta vez, com o goleiro Dejair, do Juazeirense (BA), em jogo diante do Aparecidense, time de Goiás. Indignado com as ofensas que recebeu, o atleta do clube baiano tentou registrar o Boletim de Ocorrência após o jogo, mas houve negligência por parte das autoridades no momento da denúncia.

A situação ocorreu no final do jogo, depois da expulsão de um jogador. No momento do tumulto, o goleiro ouviu diversos gritos racistas vindos da torcida. “Nós, que estávamos no banco, levantamos para falar com o quarto árbitro. Foi aí que alguns torcedores começaram a se manifestar. Teve um que gritou: ‘Vá sentar, seu nego fedido, fuleiro… Seu nego fedorento’. São palavras que ficam na cabeça e não tem como não ficar abalado com tudo que aconteceu’, relatou ao site do clube onde joga.


Deijair relata xingamentos racistas durante jogo contra Aparecidense Foto: Juazeirense

Com toda essa situação, Dejair acabou sendo expulso ao discutir com os torcedores que lhes xingavam no alambrado do Estádio Aníbal Toledo. Com a vitória do Aparecidense por 2 a 1, o árbitro da partida Silvio André Loureiro de Lima registrou na súmula os detalhes do fato ocorrido com o goleiro do Juazeirense e parte da torcida adversária.

“Aos 42 minutos do segundo tempo, eu expulsei com cartão vermelho direto o atleta de número 12 da equipe S.D. Juazeirense, sr. Deijair dos Santos Nunes, por sair do banco de reservas da sua equipe e dirigir-se ao alambrado. O mesmo chutou o alambrado e tentou agredir um torcedor caracterizado com as cores da equipe A.A. Aparecidense. O atleta expulso alegou ter sido xingado pelo mesmo torcedor de ‘macaco’. Informo que durante o ocorrido foi acionado o policiamento do estádio para conter a confusão dos envolvidos”, relatou o árbitro.

Terminado o jogo, em Goiás, Dejair prestou queixa na delegacia da cidade e mostrou extrema indignação com o fato ocorrido, além da negligência das autoridades em relação ao caso. “”É um sentimento de revolta também pela forma como a situação foi conduzida na delegacia. O agente me informou que não daria em nada, que já tinham ocorrido outros casos como esse, que eu ia perder tempo, ia demorar lá…”, relata o goleiro que também prestará queixa na delegacia de Juazeiro.

Sair da versão mobile