Relatora sobre os Direitos dos Afrodescendentes e contra a Discriminação Racial da CIDH visita o Brasil

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Entre este domingo (31) e a próxima sexta-feira (05), Margarette May Macaulay, relatora sobre os Direitos das Pessoas Afrodescendentes e contra a Discriminação Racial, da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), realiza uma visita ao Brasil junto ao seu gabinete institucional. A visita é uma iniciativa do Instituto Internacional sobre Raça, Igualdade e Direitos Humanos (Raça e Igualdade) que junto às organizações da sociedade civil negras, quilombolas e LGBTI+, vai promover encontros com lideranças e ativistas de direitos humanos, visando uma escuta ativa da Comissária sobre as violações dos direitos dessas populações no Brasil.

A agenda de Margarette May Macaulay contempla as cidades do Rio de Janeiro e Belém, cujo interesse está nos relatos sobre as denúncias de racismo religioso, violência policial, violência política de gênero e LGBTIfobia, relatadas nos últimos anos à CIDH. Além disso, a Comissionada participará de reuniões privadas com as organizações para oferecer capacitação técnica sobre incidência política internacional, com propósito de assegurar que essas denúncias cheguem formalizadas à Relatoria e à Comissão.

Margarette May Macaulay em conferência da CIDH. Foto: Divulgação


“Os casos de perda de guarda de crianças de famílias praticantes de religiões afro-brasileiras e de invasões e destruição de terreiros, despertam um grande interesse das instituições internacionais. O impacto dessas denúncias leva a entender que tanto o judiciário como o legislativo não estão cumprindo com os acordos internacionais de direitos humanos e muito menos com os direitos garantidos pela Constituição brasileira”, explica Carlos Quesada, Diretor Executivo de Raça e Igualdade.

Agenda Rio de Janeiro
Neste domingo (31), a Comissionada terá a oportunidade de reunir-se com as organizadoras da Marcha das Mulheres Negras e conhecer as representantes da luta histórica das mulheres negras no Brasil. À tarde, em uma programação organizada pela ONG Criola, Macaulay se reunirá com lideranças e praticantes de religiões afro-brasileiras para conhecer os padrões de violações de direitos relacionados ao racismo religioso no país, com a devida atenção para os marcos de violência extrema como os ataques aos terreiros e assassinatos de líderes religiosos, além dos casos de perda de guarda familiar.

O evento privado será realizado no Ilê Axé Omiojuarô, fundado por Mãe Beata de Iemanjá e atualmente liderado pelo Babalorixá Adailton Moreira Costa. No dia 01 de agosto (segunda-feira), a Relatora dos Afrodescendentes e contra a Discriminação Racial irá se reunir com familiares das vítimas da violência policial no Estado, e com organizações que estão promovendo relatórios sobre a política de segurança pública estatal, no intuito de entender o cenário da violência e letalidade policial sobre os corpos negros e LGBTI+.

No dia 02 de agosto (terça-feira), a partir das 19h, será realizado o evento público “Territorialidades, Raça e Violência”, no hotel Windsor Guanabara, com a presença da Comissionada Margarette May Macaulay e com a participação de especialistas da sociedade civil. Esse encontro propõe-se como um espaço de diálogo sobre padrões de violência contra a população negra, relacionando as vivências da população LGBTI+ em territórios de favela, com a luta pelo não apagamento dos povos de terreiro em ambientes de maioria fundamentalista evangélica. Sendo de suma importância ressaltar, o impacto da letalidade policial sobre as comunidades negras e a violência política contra mulheres negras LBT+. 

Agenda Belém
Entre os dias 03 e 05 de agosto, tendo em vista a aprofundada situação de violência a que está exposta a população negra no Pará, Macaulay terá uma extensa agenda em Belém com organizações e povos tradicionais de matriz africana da região, comunidades quilombolas e grupos organizados da juventude periférica, além de encontro com vítimas e familiares que denunciam o descaso do poder público e sua anuência diante da propagação de estigmas sobre as religiões afro-brasileiras.

No dia 05 de agosto (sexta-feira), o evento público “Axé, vida e luta por direitos em uma Amazônia negra”, será realizado no Teatro Estação Gasômetro. Além da presença de organizações afro-religiosas, a Comissária irá dialogar com organizações de mulheres negras da Amazônia, organizações quilombolas do Pará, juventudes periféricas e organizações e coletivos LGBTI+.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Jersey Simon

Jornalista, especialista em Comunicação estratégica, empreendedor. Na luta por um Reino de Justiça e paz.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.