Viola Davis recebe 4ª indicação ao Oscar e se torna a mulher negra mais vezes indicada ao prêmio

Por: Nayara Souza

A Academy of Motion Picture Arts and Sciences anunciou, na manhã desta segunda-feira (15), os indicados ao Oscar 2021. Viola Davis foi indicada ao prêmio de melhor atriz por sua interpretação  em ‘Ma Rainey’s Black Bottom- “A voz suprema do Blues”’, o filme que também rendeu a indicação póstuma de melhor ator para Chadwick Boseman, falecido em agosto de 2020. Com a indicação, Davis, que no filme interpreta a cantora afro-americana conhecida como a “mãe do blues”, Ma Rainey, a atriz chega a quatro indicações pela academia e torna-se a mulher negra que mais vezes foi indicada a um Oscar. 

 Em 2017, Davis recebeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante pela atuação em “Um Limite Entre Nós” e em 2012 chegou a disputar o prêmio de melhor atriz por “Histórias Cruzadas”, quem foi premiada aquele ano foi a atriz Meryl Streep.  Viola foi nomeada pela primeira vez em 2009, na categoria Melhor Atriz Coadjuvante pelo desempenho no filme “Dúvida”. 

 mulher negra que mais vezes foi indicada a um Oscar
Foto: Divulgação Netflix

Mulher negra que mais vezes foi indicada ao Oscar

Apesar do destaque em ser a mulher negra mais vezes nomeada ao Oscar, Davis, não defende esse recorte entre as mulheres negras e já se posicionou diversas vezes sobre a ausência de histórias de pessoas negras e personagens negros no audiovisual.

Em 2017, quando ganhou o Emmy por sua personagem, a advogada Annalise Keating, em How to Get Away with Murder, a atriz, que hoje é a mulher negra que mais vezes foi indicada ao Oscar, iniciou seu discurso de agradecimento citando a abolicionista Harriet Tubman: “Na minha mente eu vejo uma linha. E além dessa linha eu vejo campos  verdes, flores lindas e belas mulheres brancas, com seus braços esticados tentando me alcançar além daquela linha, mas eu não me vejo e não sei como chegar lá eu não consigo passar daquela linha”, citou a atriz que destacou em seguida que “a única coisa que separa mulheres de cor (women of color, no discurso em inglês) de qualquer outra pessoa é a oportunidade”. 

A ausência de representatividade de pessoas não-brancas na premiação e a falta de mulheres indicadas em categorias que não sejam exclusivas femininas, rendeu duras críticas a academia na edição de 2020 do Oscar, mas, esse ano não foram notadas muitas diferenças no perfil das indicações.  A diferença talvez seja a categoria Melhor Ator Coadjuvante que reúne três atores negros: Leslie Odom Jr. Pela sua atuação como o cantor de soul Sam Cooke em uma “Uma Noite em Miami” e Daniel Kaluuya e Lakeith Stanfield que atuam em “Judas e o Messias Negro”, filme sobre o partido Panteras Negras nos Estados Unidos. “Judas e o Messias Negro” também foi indicado aos prêmios de Melhor Filme, Melhor Canção Original, Melhor Roteiro Original e Melhor Fotografia. 

A cantora e atriz Andra Day, igualmente, concorre ao prêmio de Melhor Atriz pela atuação no filme Estados Unidos Vs Billie Holiday e “Destacamento Blood”, filme de Spike Lee, que tem Chadwick Boseman no papel principal, concorre apenas na categoria Melhor Trilha Sonora.

Confira a lista completa das indicações:

MELHOR FILME

Meu pai

Judas e o Messias Negro

Mank

Minari

Nomadland

Bela vingança

O som do silêncio

Os 7 de Chicago

MELHOR ATRIZ

Viola Davis ― A voz Suprema do Blues

Andra Day ― Estados Unidos Vs Billie Holiday

Vanessa Kirby ― Pieces of a woman

Frances McDormand ―Nomadland

Carey Mulligan ― Bela vingança

MELHOR ATOR

Riz Ahmed ― O som do silêncio

Chadwick Boseman ― A voz suprema do blues

Anthony Hopkins ― Meu pai

Gary Oldman ― Mank

Steve Yeun ― Minari

MELHOR DIREÇÃO

Thomas Vinterberg ― Druk – Mais uma rodada

David Fincher ― Mank

Lee Isaac Chung ― Minari

Chloé Zhao ― Nomadland

Emerald Fennell― Bela vingança

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Maria Bakalova ― Borat 2

Glenn Close ― Era uma vez um sonho

Olivia Colman ― Meu pai

Amanda Seyfried ― Mank

Yuh-Jung Youn ― Minari

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Sacha Baron Cohen ― Os 7 de Chicago

Daniel Kaluuya ― Judas e o messias negro

Leslie Odom Jr. ― Uma noite em Miami

Paul Raci ―O som do silêncio

Lakeith Stanfield ― Judas e o messias negro

MELHOR FIGURINO

Emma

A voz suprema do blues

Mank

Mulan

Pinóquio

MELHOR TRILHA SONORA

Destacamento Blood

Mank

Minari

Relatos do mundo

Soul

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Borat 2

The Father

Nomadland

One Night in Miami

The White Tiger

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Judas and the Black Messiah

Minari

Promise Young Woman

Sound of Metal

The Trial of the Chicago 7

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Burrow

Genius Loci

If Anything happens I Love You

Opera

Yes People

MELHOR CURTA EM LIVE ACTION

Feeling through

The letter room

The present

Two distant strangers

White Eye

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Collective

Crip Camp

The mole agent

My octopus teacher

Time

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM

Collete

A Concerto Is a Conversation

Do Not Split

Hunger Ward

A Love Song for Natasha

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Another Round (Dinamarca)

Betther Days (Hong Kong)

Collective (Romênia)

The Man Who Sold His Skin (Tunísia)

Quo Vadis, Aida? (Bósnia e Herzegovina)

MELHOR MIXAGEM DE SOM

Greyhound

Mank

News of the World

Soul

Sound of Metal

CANÇÃO ORIGINAL

Fight for you ― Judas e o messias negro

Hear my voice ― Os 7 de Chicago

Husa’vik― Festival Eurovision da Canção: A saga de Sigrit e Lars

Io sì ― Rosa e Momo

Speak now ―Uma noite em Miami

MAQUIAGEM E CABELO

Emma

Era uma vez um sonho

A voz suprema do blues

Mank

Pinóquio

EFEITOS VISUAIS

Problemas monstruosos

O céu da meia-noite

Mulan

O grande Ivan

Tenet

MELHOR FOTOGRAFIA

Judas e o messias negro

Mank

Relatos do mundo

Nomadland

Os 7 de Chicago

MELHOR EDIÇÃO

Meu pai

Nomadland

Bela vingança

O som do silêncio

Os 7 de Chicago

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Meu pai

A voz suprema do blues

Mank

Relatos do mundo

Tenet