Ícone do site Notícia Preta

Moradores do Complexo do Salgueiro(RJ) denunciam ‘ocupação’ da PM 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na próxima terça-feira (21) completa uma semana da ‘ocupação’ policial na região do Complexo do Salgueiro, no Rio de Janeiro. De acordo com a Secretaria de Segurança, a presença da Polícia Militar no local é para evitar a comemoração do aniversário de Ilário Ferreira, o “Rabicó”, apontado como chefe do tráfico no Salgueiro. 

A ‘ocupação’ foi iniciada na quarta-feira (14), a festa seria no mesmo dia e se estenderia pelo feriado de Corpus Christi. Moradores denunciam desde então uma série de delitos cometidos pelos policiais militares, como invasão de propriedade sem mandado judicial, furtar objetos e comidas, fechar comércios, ameaças, provocar tiroteios na região. Vídeos de locais enviados ao jornal G1 mostram também churrasco feito pelos militares nos terraços das residências.

O Complexo do Salgueiro fica localizado na cidade de São Gonçalo, região metropolitana do Rio, e é formado pelas comunidades Lixão do Itaóca, Praia da Beira, Itaúna, Palmeira, Praia da Rosa, Praia da Luz e Salgueiro. A operação foi feita pelo 7º Batalhão da Polícia Militar de São Gonçalo em conjunto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), por volta das 4h30 de quarta-feira. O Bope se retirou do local, mas o 7º BPM continuou.

Pelas gravações de moradores, que não quiseram ser identificados, é possível ver o momento de uma invasão policial em uma casa, após a saída dos agentes a residência fica revirada e móveis espalhados pelo local, nesta moradia em específica, a dona estava no trabalho e recebeu os vídeos dos vizinhos, por este motivo, ela não retornou para casa.    

Nos dias 16 e 17 moradores protestaram contra a ocupação, eles fecharam a rodovia Niterói-Manilha (BR-101). Para um dos participantes não têm fundamento os policiais continuarem na região. “Qual é o fundamento para a ocupação? Alegaram que era pra acabar com uma rave que aconteceria, mas já é sexta-feira. Teve morador baleado, morador morto, moradores sem trabalhar”. 

Leia também: Brasil tem retrocesso de até três décadas na economia, na educação e no meio ambiente

Já uma mulher contou sobre os furtos realizados pelos agentes do município nas casas que estão vazias. “Eles se aproveitam de operações e roubam biscoito, danone, quebram televisão e fazem o que quiserem”, denunciou durante o protesto. Desde do início da operação, foram registradas cinco mortes em confrontos com os policiais. A Secretária da PM, informou não ter previsão de quando a ação vai terminar e os agentes estão no Complexo do Salgueiro para garantir a segurança dos moradores. 

Sair da versão mobile